Portal Cdor Heraldo Lage
HLAGE.COM.BR

 

 É NÓISH NA FITA !
Conheça também o nosso Blog "É NÓISH NA FITA !"

GERALDO ALMENDRA

 
 

“BIG BROTHER”

O ESPELHO VIVO DE UMA SOCIEDADE AÉTICA E IMORAL

− Prólogo −

“UMA PEDRA EM CIMA DA CANALHICE”

“ A sociedade brasileira anseia por saber como vai ficar a
situação dos principais responsáveis pela orgia de dinheiro sujo que reinou,
recentemente, nos palácios de Brasília e que tanto desgosto causou aos
cidadãos de bem. Pelo menos três ilícitos penais emergiram daquele mar de
lama: formação de quadrilha, apropriação indébita e crime contra o sistema
financeiro nacional.

O principal ator desta triste comédia - um carequinha simpático
e risonho - continua desfilando em luxuosos automóveis importados e em
aviões particulares, usufruindo os seus bilhões de reais ganhos com as
falcatruas. Com o seu patrimônio incólume, está lépido e faceiro,
passeando pelos paraísos fiscais e conferindo os seus saldos em dólares.
E os outros?

O povo está perplexo com tanta impunidade ostensiva. Os
beneficiários dos mensalões e cuecões estão sendo absolvidos, um a um,
preservando os seus mandatos da falta de decoro parlamentar... Quanto ao lado
criminal da questão, nem se houve falar... Está tudo limpo, prontinho para as
reeleições. Colocaram uma pedra em cima das patifarias e canalhices,
em nome da indecência que pontifica em escalões dos poderes deste país.
Uma vergonha!

CANALHICE TOTAL EM TODOS OS PODERES!
SALVE-SE QUEM PUDER!
OS LADRÕES ESTÃO SOLTOS!
AS CUECAS ESTÃO SUJAS? ”

Gal. Torres de Melo

(21-março-2006)

 

 

− Teatro do Absurdo da Tragédia Política e Cultural Brasileira −

Vai começar um outro show de degradação de valores morais e éticos, espetáculo que serve como símbolo e inspiração para uma sociedade comandada por exploradores do povo, por corruptos, por prostitutos da política, e por seus cúmplices e lacaios.

Iniciaremos o ano de 2007 assistindo diariamente aulas na TV da Escolinha Global do Ensino à Distância da Canalhice e da Patifaria.

Este evento volta a ocorrer depois do início de uma nova temporada do Circo do Retirante Pinóquio, em que voltaremos a presenciar, ao vivo e a cores, a consolidação de uma hedionda e espúria relativização da Justiça − sob a batuta dos Tribunais Superiores −, assim como da continuação de um outro espetáculo com audiência mundial: a prostituição dos podres Poderes da República pelas mãos do mais sórdido filho da serpente da degradação moral e ética da política.

O patrocínio milionário para o Big Brother estará garantido por uma audiência que, em sua maioria, apostou na destruição do seu próprio país. O Circo do Retirante Pinóquio foi premiado com uma nova temporada que poderá durar de quatro a dez anos, ou muito mais. Mais uma temporada formadora de uma massa ignorante cada vez maior aplaudindo seus espetáculos pagos pelos idiotas e imbecis dos contribuintes.

Os políticos, seus cúmplices e seus lacaios, assim como os novos participantes do BBB – desta e de outras edições −, estarão concorrendo a gordos prêmios em dinheiro. Para os já amplamente conhecidos prostitutos da política e do corporativismo sórdido, os “prêmios” milionários continuarão sendo pagos pelos mesmos idiotas e imbecis dos contribuintes. Para os participantes da maratona da canalhice e da patifaria das tramas do BBB, os prêmios serão pagos pelo imbecil coletivo telespectador desta demonstração de degradação cultural, competentemente organizada pelo Plim-Plim, com seus patrocinadores enchendo seu cofre de dinheiro.

A turma do BBB já está, nas suas entrevistas promocionais, dando todos os sinais de que a mentira, a traição, a trapaça e a manipulação covarde do sentimento alheio – a degradação de todos os valores fundamentais para a construção de uma sociedade digna e justa − serão seus instrumentos do “trabalho”.

Tudo será feito em nome da ambição de botar a mão no milhão e nos prêmios “acessórios”. Não importa o teor da luta mesmo que à custa da abertura de suas mazelas de caráter e personalidade para o imbecil coletivo, que gastará horas assistindo suas tramóias idiotas, que não agregam qualquer valor para melhorar a cultura do povo, e tão somente mostrará explicitamente a sujeira moral e ética residente no coração e na alma de cada participante.

 Nesta nova edição alienante do BBB teremos a arquitetura da Casa da Canalhice muito mais sofisticada.

Estão sendo empregados os melhores recursos tecnológicos para mostrar ao público as demonstrações explícitas de tudo o que de pior existe no comportamento humano, à exceção de pequenos limites impostos, mesmo porque ninguém é de ferro. Mas, o vale tudo da patifaria nas relações pessoais, será livre, leve e solto, valendo dançar homem com homem, mulher com mulher, e aceitando-se com louvor os seus subprodutos imorais, aéticos e sexuais.

Seremos brindados durante semanas com vivas demonstrações − para crianças, adolescentes e adultos – de que o vale tudo da patifaria e da canalhice nas relações pessoais cada vez mais se justifica em nosso país, pois esses têm sido os ensinamentos e as lições da liderança do mestre retirante pinóquio. Tudo dependendo se os fins da busca do poder, da riqueza, ou de passar o “semelhante” do povo e de outros partidos para trás, estiverem presentes.

Será que nesta edição do BBB o jogo limpo conseguirá fazer um vencedor? Na vida real aprendemos, recentemente – em outubro de 2006 −, o quanto nossa sociedade gosta de prestigiar a imoralidade, a corrupção e a falta de ética, em votações maciças para canalhas da política prostituída.

Tanto no trabalho, como nas relações interpessoais fundamentadas na ética e na moralidade, as pessoas honestas deveriam se apresentar praticando esses preceitos como principais balizadores do crescimento pessoal e do acúmulo patrimonial.

No Big Brother, a exemplo do que acontece no poder público, conforme já tivemos a tristeza de presenciar repetidamente durante os últimos quatro anos − em homenagem ao desgoverno de FHC − esses mesmos princípios serão, mais uma vez, enxovalhados no limite. Estará se iniciando um novo espetáculo de degradação moral e ética novamente ao vivo e a cores – agora com ênfase no vermelho.  Como maior novidade, desta vez o líder temporário terá direito a vidro camuflado para ver − sem ser visto − a surubada “cultural e intelectual” de seus pares.

A TV Globo, pelo seu poder nos meios de comunicação, deveria ter, prioritariamente, em sua programação, mostras de uma antítese da degradação moral e ética do país.

Contrariamente a esse propósito, sua opção tem sido mostrar, de todas as formas possíveis, os espelhos vivos da sociedade do nada. Tudo o que não presta é transformados em roteiros que não trabalham corretamente e concretamente a reeducação, mas enfatizam que o crime, o roubo, a canalhice, a patifaria, etc., acabam via de regra compensando. Os lucros provocados por uma audiência que prestigia − cada vez mais − a desgraça moral, ética e cultural da sociedade, continuam justificando essa sacanagem com o país e com o futuro dos nossos filhos e de suas famílias. Todos estarão submissos a uma sociedade desprovida de valores morais e éticos, com os futuros xerifes de bairro apontando suas armas vermelhas para suas cabeças.

A maior emissora de televisão do país, para obter grandes audiências, se vale da sistemática exploração em seus roteiros, da arquitetura comportamental dos redundantes exemplos sociais de prostituição de valores, seja nas relações dentro das empresas, seja dentro das famílias. O fato estranho é que sempre poupa – pelos seus interesses financeiros e corporativos −, o principal artífice do lamaçal da imoralidade e da falta de ética, o poder público e suas relações com a sociedade. Por que o Plim-Plim não se faz uma novela de horário nobre explorando a podridão dos podres Poderes da República? – Covardia e cumplicidade.

O sorridente e rico fabricante de biografias continuará, ao que tudo indica, sendo um grande sucesso. Um verdadeiro virtuoso maestro condutor de um dos piores programas de televisão sob o ponto de vista moral e ético, e que deveria ser duramente criticado por todos aqueles que estão verdadeiramente preocupados com a formação dos seus filhos e com a nossa chegada no fundo do poço da degradação moral e ética do país.

A questão que fica na nossa mente é como uma sociedade que elege explícitos canalhas da corrupção e da prostituição da política para mandatos eletivos pode merecer outro tipo de programa, senão calhordas novelas de horário nobre e edições periódicas desse deprimente espetáculo chamado Big Brother. Temos que lutar contra essa mesmice padronizada de raciocínio entreguista, desculpa predileta para aqueles que não tem a coragem de enfrentar os canalhas da corrupção e da prostituição da política, e escolheram o caminho da aliança ou da omissão para ajudar na destruição do nosso país.

É esse o pote de ouro do qual se apoderou a TV Globo na “nascente do arco-íris” da falência cultural do Brasil: a competente exploração da endemia da prostituição de valores da sociedade, sem desenvolver um projeto para provocar uma busca de novos paradigmas para fazer com que sua programação de maior audiência ajude efetivamente a salvar nosso país de continuar sendo um dos mais corruptos, aéticos e imorais do mundo.

Nosso sistema prisional se tornou uma escola de assassinos hediondos.

Nosso sistema educacional se torna cada vez mais uma fábrica de ignorantes de carteirinha escolar e de portadores de canudos universitários, em sua maioria, para simples identificação no mercado de trabalho de quem é mais ou menos ignorante, incompetente ou imbecil.

Nosso poder público se tornou a matriz da prostituição da política, da corrupção sem controle, e do corporativismo mais espúrio.

As “mãos invisíveis” de criminalistas e togados continuam fazendo com que a Justiça seja um instrumento de blindagem e salvaguarda da gang dos 40, de seus cúmplices e de seus lacaios.

E a TV Globo se apresenta como uma cúmplice dos poderes instituídos para continuar difundindo nos seus telejornais as meias verdades na forma desejada e atendendo aos interesses dos desgovernos que se sucedem, além de semear, com sua “rica” programação de horários nobres, a degradação de valores morais e éticos no apodrecido tecido social do nosso país.

Viva o Big Brother!

Viva a TV Globo!

Viva o imbecil coletivo – os de dentro e os de fora do BBB!

Viva o Brasil!

Tintim!

Geraldo Almendra

09-janeiro-2007

 

Página Principal

Old
Guest Book

Assine meu novo Livro de Visitas
Livro de Visitas
Antigo