Portal Cdor Heraldo Lage
HLAGE.COM.BR
Grupo Amigos Verso & Prosa

É NÓISH NA FITA !
POLÍTICA...
Conheça também o nosso Blog "É NÓISH NA FITA !"

Enviada por: Alamar Regis

SAFADEZAS DO BRASIL 3
FUNDO DE CAMPANHA
Alamar Regis

 

Para: Cdor Heraldo Lage

Prezado Heraldo - Você sabe o que é FUNDO DE CAMPANHA? É uma das maiores pragas deste país. É aquilo que deixa os políticos submissos a grandes empresas que fazem o que querem no Brasil, porque eles são obrigados a aprovar tudo o que elas querem. E que se dane o provo brasileiro.

Safadezas do Brasil – 3

O famigerado Fundo de Campanha

 

Alamar Régis Carvalho

alamar@redevisao.net

 

         Uma das maiores pragas de um país chama-se Fundo de Campanha.

         O que vem a ser isto? A maioria imensa da população brasileira não sabe o que é.

         O cidadão quando quer entrar na política, para servir-se dela e jamais para servir através dela, obviamente sem bagagem, sem história de serviços prestados à população, sem identidade com a Caridade, a convivência natural e espontânea com as comunidades, as tarefas beneficentes e a dignidade de um modo geral, apela por meios de projetar a sua imagem através de produções feitas por agências de publicidades.

         É aquele caso do indivíduo que aparece todo maquiado e sorrindo nos “out doors” espalhados pela cidade, naquelas filmagens vestido com calça jeans nos bairros mais pobres da periferia, cercado de pobres e com crianças desnutridas no colo. O Photoshop elimina as suas rugas, verrugas, sinais e deixa e elemento “bunitim”, que é uma beleza.

         Ele tem que forçar a barra, tem que se tornar conhecido a qualquer custo.

         Para isto precisa gastar dinheiro, muito dinheiro, para fazer as suas produções em agências e grandes produtoras de TVs.

Mas não é só isto. Tem que pagar a produção de camisas com suas fotos, geralmente aos milhares, jovens para ficarem balançando bandeiras com seu nome e sua foto nas vias públicas, soltar algum dinheiro para radialistas que adoram um “jabá” para falarem em seu nome e o entrevistarem em seus programas... enfim, haja grana para fazer uma grande campanha que consiga iludir o máximo possível de trouxas para eleger um aproveitador qualquer que não tem qualquer afinidade com os reais interesses do povo.

         Tem que apelar para alguém que tenha muito dinheiro, que possa bancar tudo aquilo.

         Aí procura por grandes latifundiários, fazendeiros, empresas, indústrias, bancos, e grandes fortunas de um modo geral, sempre pertencentes a um universo altamente comprometido do ponto de vista moral, quando pede auxílio para o seu fundo de campanha, obviamente comprometendo-se a defender os interesses daqueles seus padrinhos, em todas as circunstâncias, quando eleito.

         Empresas, fazendeiros, empresários e industriais que são dignos não têm o menor interesse, muito menos motivos, em se obrigarem a despender altas quantias para forçar a eleição de ninguém, a fim de protegê-los, porque não têm rabo de palha nem telhado de vidro. Esses sofrem, mas é motivo para outra matéria.       

         Aí, o que vai acontecer?

         O povo brasileiro, que faz questão de continuar besta ao extremo, se deixa levar pela imagem maquiada do “santinho” que chora abraçado com pobre desdentado para dar a impressão de que está bastante comovido com aquele sofrimento da favela.

         Pra completar, o elemento ainda aparece no horário do T R E baixando o cacete em todos que estão nos governos atuais, do Município, do Estado e do País, qualquer que seja o partido, de dedo em riste, com aquela “autoridade” e “moral”, cheio de denúncias e acusações, que impressiona e comove todo mundo, terminando por fazer um monte de idiota imaginar que se elegê-lo vai mudar tudo, as coisas vão melhorar, a safadeza e o jogo de interesses vão acabar...

         E terminam elegendo o cara.

         É a força da praga do fundo de campanha.

         De repente todo mundo começa a questionar:

         - “Como é que pode? aquele fazendeiro fulano de tal faz o que quer, maltrata as pessoas, mantém trabalhos escravos em suas terras, manda matar gente, é envolvido com tudo quanto é safadeza e ninguém mexe com ele?.

         - “Gente. É impressionante, todo mundo aqui na cidade sabe que essa loja só vende contrabando, faz tudo quanto é tipo de jogada, e ninguém mexe com eles.”.

         - “Mas todo mundo na região sabe, que a rede de postos de gasolina daquele fulano, só vende gasolina adulterada, e ninguém mexe com ele.”.

         - “Todo mundo sabe que aquela concessionária de veículos vende também carros roubados, mas ninguém mexe com eles.”.

         - “Aquela faculdade tem história de emitir diplomas falsos. Conheço várias pessoas aqui na cidade que nunca estudaram direito, e são advogados; gente que nunca sentou no banco da faculdade, e é administrador de empresa. Como é que pode? Ninguém mexe com eles.”.    

        

         São os efeitos do famigerado fundo de campanha.

         Ao mesmo tempo você vai ver juízes íntegros e decentes transferidos para um interior bem distante, porque não se submeteram a conduzir processos conforme os interesses de bandidos poderosos. Médicos honestos serem demitidos do grande hospital porque se recusaram a dar laudos fora da realidade, para atender aos interesses de criminosos.

Não demora muito tempo você percebe que a “excelência” virou dono de concessionária de veículos, rede de supermercados, emissoras de rádio e televisão, mansão e casa de praia, apartamento para a amante, etc... e ainda tem o descaramento e o cinismo de se ofender quando se fala em desonestidade na política, ameaçando mover processo contra os outros por calúnia. É muita cara de pau.         

O empresário que “investe” no fundo de campanha não vai fazer pelos belos olhos da cara do candidato. Ele sempre vai querer de volta pelo menos dez vezes mais do que investiu e o candidato, preso a ele até o pescoço, tem que atender a tudo o que ele quer. Foi por isto que aconteceu o que aconteceu com a SUDAM e a SUDENE. É por isto que você nunca vê o inútil BNDES ter dinheiro para desenvolvimento de nenhuma micro, pequena e média empresa, no Brasil, mas sempre tem para recuperar banco falido, para companhias de energia elétrica, telefônicas e para os grandões de um modo geral.

         É a praga do fundo de campanha.

         Portanto, meu compatriota brasileiro, fiquemos de olho na próxima eleição e façamos diferente do que fizemos nas anteriores.

         Quanto maior a produção, a quantidade de “out doors” espalhados pelas cidades, as maquiagens, os sorrisos falsos, showmícios, bandeiras balançadas pelas ruas, camisetas vestidas com nome, foto e partido, mais sem vergonha é a campanha e mais comprometido é o candidato.

         Vamos mudar a cultura brasileira nas próximas eleições. Ser inimigo do Lula, apenas detestar o Lula, não vai resolver nada. Ter ódio de militares e de pessoal de direita, apenas, também não vai resolver porcaria nenhuma.

         Para concluir, responda a si mesmo:

         Por que os bancos, as operadoras de cartões de crédito, as companhias telefônicas e todas muitas mega empresas fazem o que querem no Brasil e ninguém tem autoridade para detê-las? Ninguém mexe com eles!

         Por que os bancos chegaram a ponto de aprovar leis neste país, em benefício próprio, revogando outras anteriores, como é o caso da Lei da Usura?

         Roberto Jefferson, por favor, eu não estou falando contigo, não me peça a palavra agora.

         Por que as companhias telefônicas permanecem, ininterruptamente, como as campeãs de reclamações no PROCON, continuam fazendo exatamente a mesma coisa, não dando a menor importância a esse órgão ridículo que só tem força junto a micro empresas, e ninguém não faz nada? Ninguém mexe com eles!

         Acho que a resposta já está dada.

         Pra frente, Brasil! Vergonha na cara, JÁ!!!!


         Alamar Régis Carvalho

         Analista de Sistemas

         alamar@redevisao.net

         orkut “alamarregis”

         www.alamar.biz

 
 

Alamar Régis Carvalho - www.alamar.biz  - www.redevisao.net  - alamar@redevisao.net
 

Página Principal

Old
Guest Book

Assine meu novo Livro de Visitas
Livro de Visitas
Antigo